Ministério da Saúde migra dados para novos provedores de nuvem

Ministério da Saúde migra dados para novos provedores de nuvem

Além da nuvem da AWS, Ministério agora também terá dados na Huawei Cloud e Google

O Ministério da Saúde, que sofreu um ataque hacker no mês de dezembro e ainda não recuperou efetivamente seu sistema, está passando por uma migração de provedores de cloud computing. Na prática, saiu a Embratel como integradora e entrou a Extreme Digital, que oferece integração com AWS (que se manteve no serviço), Huawei e Google.

O contrato foi assinado no dia 30 de dezembro de 2021 e tem validade até o dia 30/01/2023, com o valor de quase 3 milhões de reais. A Extreme Digital, como cloud broker, será a gestora da multi-cloud e terá a função de conceber, projetar, provisionar, configurar, migrar, dar suporte, manutenção e gestão das topologias de serviços na AWS, Google e Huawei.

O pregão da multi cloud aconteceu em abril de 2021 foi questionado judicialmente, e apenas em agosto do ano passado, houve uma decisão final no Tribunal de Contas da União. A corte de contas rejeitou um recurso apresentado pela Claro, secundado pela Microsoft, que questionava o resultado do pregão da nuvem pública do governo federal.

O TCU entendeu que a Claro, que perdeu o posto de fornecedora de nuvem para a Extreme Digital Solutions, não mostrou nada diferente do que já fora descartado pelo Ministério da Economia na esfera administrativa da licitação.

Envie o Press Release da sua empresa para o Resumo Cloud, acesse nossa página de contatos.

Fonte: ConvergenciaDigital

Imagem: Unsplash




Não há comentários neste post

Adicione a sua sua