Orizon migra seus dados para o Azure da Microsoft

Orizon migra seus dados para o Azure da Microsoft

Tecnologias de nuvem trarão mais velocidade para a healthtech que realiza mais de 15 milhões de transações na área da saúde por mês

 A Orizon, healthtech que pertence ao Grupo Bradesco e é responsável por um banco de dados com informações transacionais de cerca de 16 milhões de pessoas na área da saúde suplementar, está realizando a jornada de migração para o Azure, plataforma de nuvem da Microsoft. O objetivo é ganhar inovação no desenvolvimento de seus modelos de dados, flexibilidade para suportar picos de acesso e otimizar os recursos para acelerar as entregas, aprimorando o desempenho e reduzindo custos da operação, que cresceu exponencialmente nos últimos anos.

Diariamente, a companhia analisa e autoriza mais de 500 mil atendimentos, desde um hemograma até cirurgias de alta complexidade, por meio de sistemas que conectam cerca de um quarto dos beneficiários de planos de saúde no país a 220 mil prestadores, 23 operadoras e 12 mil farmácias. Portanto, necessita de uma infraestrutura tecnológica que garanta velocidade no tempo de resposta a fim de agilizar o atendimento ao paciente, além de proteger os seus dados.

Para melhorar esse processo, a Orizon iniciou uma jornada de modernização de infraestrutura de dados na nuvem, contando com as soluções mais modernas do Azure. “O projeto permite que a Orizon tenha um recurso computacional mais moderno, acelerando o seu processo de transformação digital com ajuda da nuvem e a possibilidade de integração dos ambientes, permitindo novas implementações em sua infraestrutura de forma digital”, afirma Ricardo Fernandes, vice-presidente de Enterprise Business da Microsoft Brasil.

Com processos de 20 a 30% mais rápidos, a Orizon já está fazendo movimentos para acelerar as fases do projeto previstas para 2022. “A tendência é termos tudo na nuvem. Estamos bem avançados e já entrando na quarta de cinco etapas previstas. Já capacitamos os nossos colaboradores e preparamos o ambiente para receber os workloads necessários, além de cuidar da governança e segurança para fazer tudo rodar”, afirma Maron. “Com essa inteligência, certamente, seremos ainda mais assertivos, teremos mais ganhos e muitos insights para melhorar ainda mais a experiência de nossos clientes.” Com a finalização, a companhia também prevê uma redução no custo total de propriedade em 73% nos próximos três anos para o ambiente analítico.

Fonte: Yahoo Finance

Imagem: Unsplash




Não há comentários neste post

Adicione a sua sua