Receita do Microsoft Azure tem aumento de 50% no primeiro trimestre deste ano

Receita do Microsoft Azure tem aumento de 50% no primeiro trimestre deste ano

A empresa afirmou que a parte de computação em nuvem do Azure teve um crescimento de 50% na receita no primeiro trimestre

A Microsoft divulgou sua receita trimestral ontem. A empresa conseguiu cumprir as expectativas de analistas, e ainda apresentou um lucro acima do esperado, porém não foi o suficiente para fazer com que as ações da gigante do cloud avançassem. 

O terceiro trimestre foi fechado dia 31 de março com a receita e o lucro ajustado por ação foram de 41,7 bilhões de dólares e 1,95 dólar por papel, o que foi um número maior do que foi estimado pelos analistas. Eles esperavam um faturamento de 41,03 bilhões, e um resultado positivo de 1,78 por ação, de acordo com dados da Refinitiv citados no site Istoé Dinheiro.

A empresa afirmou que a parte de computação em nuvem do Azure teve um crescimento de 50% no trimestre, ou de 46% quando é ajustado para variações cambiais. Esses números eram esperados e ficaram alinhados com as expectativas dos analistas, que eram de crescimento de 46,3%, segundo dados do Visible Alpha citados pelo site.

De acordo com dados da Refinitiv, também citados pelo site, a receita da divisão de nuvem da Microsoft, a plataforma Azure, somou cerca de 15,1 bilhões de dólares, mais do que foi estimado pelos analistas. Eles esperavam que fosse de cerca de 14,92 bilhões 

Ainda de acordo com a Refinitiv, o valor da receita do setor de software de produtividade, que abrange o Office e o Teams, foi de 13,6 bilhões de dólares, e as estimativas dos analistas foram de 13,49 bilhões. 

Já a unidade de computação pessoal da Microsoft, que possui o sistema operacional Windows e o console de videogames Xbox, obteve vendas de 13 bilhões de dólares, e as expectativas dos analistas eram de 12,57 bilhões, segundo a Refinitiv. 

Mas, mesmo com o aumento na receita, as ações da organização decresceram em 3,4% depois do fechamento regular do mercado nos Estados Unidos (EUA). Segundo o site, os papéis da gigante de nuvem acumularam valorização de 50% em 2020, pois foram impulsionados pelos impactos do isolamento social que aumentaram muito os acessos de produtos que oferecem suporte ao trabalho e estudo remoto.

Fonte: Istoé Dinheiro

Imagem: Microsoft/Divulgação




Não há comentários neste post

Adicione a sua sua