Microsoft quer abrir nova região do Azure na China

Microsoft quer abrir nova região do Azure na China

É esperado dessa expansão que ela duplique a capacidade do portfólio de nuvem inteligente do Microsoft Azure na China nos próximos anos

A Microsoft está pensando em abrir uma nova região do Azure na China, através de seu parceiro operacional residente do país, o 21Vianet. Essa é mais uma tentativa da empresa tentar aumentar o seu portfólio de nuvem no país. A mudança acontece em torno da crescente demanda por serviços de cloud na China.

É esperado dessa expansão que ela duplique a capacidade do portfólio de nuvem inteligente da Microsoft na China nos próximos anos. Ele inclui as seguintes plataformas: Azure, Microsoft Office 365, Dynamics 365 e Power Platform operado pela 21Vianet, afirmou a Microsoft em um blog, na última sexta-feira.

A Microsoft vem colaborando com a 21Vianet para realizar os seus serviços em nuvem na China desde 2014, porque os provedores de serviços em nuvem estrangeiros estão proibidos de possuir e operar seus data centers no país.

Os requisitos regulamentares chineses dizem que as regiões do Azure operadas pela 21Vianet no país são instâncias fisicamente separadas da nuvem global da Microsoft, porém são construídas na mesma base técnica de nuvem de seus pares globais.

Segundo o white paper, China Cloud Industry Development1, o mercado de nuvem na China deverá atingir 300 bilhões de yuans (aproximadamente US $46 bilhões) em 2023. Com a pandemia e em resposta a ela, 63% das organizações na China estão beneficiando-se das inovações relacionadas à nuvem para acelerar a digitalização de seus produtos, pagamentos, e-commerce, automação, entre outros.

O Presidente e Diretor Executivo da Microsoft Greater China Region (GCR),  Alain Crozier, afirmou em um comunicado que “Isso revela uma grande oportunidade. A nuvem da Microsoft operada pela 21Vianet foi a primeira nuvem pública internacional em conformidade com o lançamento na China por meio de um parceiro operacional local”.

“A próxima região reforçará as capacidades para ajudar a cultivar talentos locais, estimular a inovação local, aumentar os ecossistemas de tecnologia locais e capacitar empresas em uma ampla gama de indústrias para obter mais resultados”, acrescenta Crozier.

Fonte: Telecom.com

Imagem: Microsoft Azure/Divulgação




Não há comentários neste post

Adicione a sua sua