Intel e Microsoft vão trabalhar juntos para desenvolver o programa DPRIVE

Intel e Microsoft vão trabalhar juntos para desenvolver o programa DPRIVE

O programa visa o desenvolvimento de um acelerador para criptografia totalmente homomórfica (FHE)

A Intel anunciou, nesta semana, um acordo com a DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA) para trabalhar em seu programa DPRIVE (sigla em inglês para Proteção de Dados em Ambientes Virtuais). O programa visa o desenvolvimento de um acelerador para criptografia totalmente homomórfica (FHE). Nesse programa, a Intel vai colaborar junto com a Microsoft.

A Microsoft é o principal ecossistema de cloud computing e parceiro de criptografia homomórfica, que atua na adoção comercial da tecnologia, com um histórico de testes bem sucedidos em soluções como Microsoft Azure e a Nuvem Microsoft Jedi, em parceria com o governo estadunidense. 

Esse programa vai representar um esforço entre as equipes de vários grupos da Intel, incluindo Intel Labs, Design Engineering Group e Data Platforms Group, para contra atacar a “fronteira final” da privacidade de dados: a computação em dados totalmente criptografados sem acesso às chaves de decodificação. 

Rosario Cammarota, Engenheira-chefe da Intel Labs e Investigadora-chefe do programa DARPA DPRIVE afirmou, segundo o site InforChannel, que “A criptografia totalmente homomórfica ainda é o Santo Graal na busca por manter a segurança dos dados durante o uso. Apesar dos grandes avanços em ambientes de execução confiáveis e de outras tecnologias de computação confidenciais para proteger os dados em repouso e em trânsito, essas informações permanecem descobertas durante a fase de computação, aumentando o risco de possíveis ataques”.

“Muitas vezes isso nos impede de compartilhar e extrair totalmente o máximo valor desses dados. Estamos felizes com a assinatura da parceria com a DARPA e esperamos poder colaborar com eles e a Microsoft no avanço dessa nova etapa da computação confidencial, tornando a criptografia totalmente homomórfica uma realidade acessível a todos”, acrescenta.

A criptografia totalmente homomórfica fornece aos usuários uma disponibilidade para se trabalhar com dados que estão sempre criptografados, eles se chamam criptogramas. Dessa maneira, os dados não apresentam a necessidade de serem decifrados, o que faz com que eles tenham menos ameaças cibernéticas.

A FHE implantada em larga escala vai permitir que as empresas façam uso de técnicas como machine learning (ML) para extrair o valor total de grandes conjuntos de dados ao mesmo tempo que os dados seguem protegidos durante todo o ciclo de vida.

O DARPA DPRIVE vai ter múltiplas fases. Começando com projeto, desenvolvimento e verificação de blocos IP básicos. Em seguida eles vão ser integrados em um SoC e em uma pilha completa de software. 

As empresas vão trabalhar com órgãos especialistas em desenvolvimento de padrões internacionais para FHE, além do desenvolvimento das tecnologias básicas necessárias para o design do acelerador.

Fonte: InforChannel




Não há comentários neste post

Adicione a sua sua